Textos


Na alma que canta


a voz do poeta é um rio
que brota fino
e cristalino

os olhos do poeta
trazem
outras águas
colorindo as margens

sem nome. adorno.

só se vêem se se encontram
os rios que correm
pelas praias reviradas das idéias

cantando como

onda que rola e se transporta
se transforma
cai limpa e clara
na alma que canta.




Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 20/06/2010


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr