Textos


A um cravo que passou por aqui... mas não vi!

Julgas tu que não senti
o intenso aroma de cravo
cativante como a brisa
que o mar alto trazia?!
pois senti!
como esplendor que fluísse
de brandas nuvens viesse
invisível passeasse…
ah, o aroma inexcedível
que se inferia deixaste
quando Portugal visitaste!
senti uma nostalgia
como há muito não sentia
só teu doce olor achara!
Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 17/10/2009


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr