Textos




Todos os seres vivos estão em constante evolução.
Os seres humanos evoluirão mais rapidamente que os demais?
Muitos afirmam que isso acontece…Mas muitos negam que os seres vivos tenham sequer inteligência, um conceito que é desmentido aos olhares mais atentos.
Existirão diferentes tipos de inteligência e de comunicação.
Todos os seres vivos se adaptam ao meio em que vivem, senão perecem, como descobriu Darwin.

Nenhum ser vivo, excepto o ser humano, detém formas de extermínio. Nenhum outro ser vivo possui armas capazes de destruir o único planeta seguramente habitável, com a desculpa de assegurar a posse do seu território!
Chamam Inteligência a isto?!
Não satisfeito, o ser humano procura a criação de tecnologia que seja mais “inteligente” que ele mesmo, que um dia o torne escravo das máquinas que criou.

Chamam Inteligência a isto?!

Evidentemente, a ciência tem evoluído de forma a prolongar a vida e a evitar sofrimento.
São “as duas faces da moeda”.

Mesmo quem vive pacatamente o seu dia-a-dia, se depara com vizinhos que entendem melhor ou pior, que se adaptam mais ou menos às circunstâncias, ao ambiente, ao convívio com outros, seres humanos ou não.

Olho o céu: Tantas nuvens coloridas, do branco ao quase negro, passando pelos diversos tons que bordam o zéfiro …De vez em quando as nuvens zangam-se com as suas parceiras, trovejam, surgem os raios, a chuva, encobrem o azul…desfazem-se em neve! Outras reflectem a pura luz do sol.

Tal e qual a nós, pequeníssimos seres afadigados em amontoar pequenos nadas, que deixaremos, com sacrifícios imensos, nem sequer olhando o céu, o sol, a beleza natural que nos rodeia e vamos destruindo…
Chamam a este procedimento Inteligência?!

Maria Petronilho

Imagem: 
https://www.neurobureau.org
abstract_Brain-Waves_by_Michiel-Kleinnijenhuis
Licença Creative Commons
Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 09/04/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr