Textos


Lavadeira


Lavadeira pobrezinha
Que lavas roupa no rio
Com água pelo joelho
Mesmo tremendo de frio

Ai tantas rendas que passam
Pelos teus dedos de seda
E tu, lavadeira, nem botas
Nem lenço sobre a cabeça!

Quantas peças tinha o rol
Que recolheste à tardinha?
Cada peça a um vintém,
Lavadeira pobrezinha....

Coram anáguas tão ricas
Na erva verde da margem
Crias teus filhos das côdeas
Que sofres, mulher coragem!
Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 29/05/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr