Textos

Acerca de religião
Houve um tempo, na minha adolescência, em que travei uma tremenda batalha comigo mesma, acerca de religião.

Sofri horrores... certa vez conversei com um padre, em confissão, e expus-lhe as minhas dúvidas.

Era um padre decente, que não me impôs sermões, antes me disse que devia seguir o que a minha consciência ditasse.

Esta negação das religiões começou muito cedo, quando a minha mãe comprou um missal ao padre que foi dar-lhe a extrema-unção.

Depois da partida dela, só me restavam os livros.

E esse missal estava a abarrotar de "indulgências".....Diz esta oração dez vezes e ser-te-ão perdoados 3 dias de purgatório, por exemplo.

Aquilo não fazia sentido nenhum na minha cabeça!

Se continuasse a falar disto, da minha luta interior, nunca mais acabava!

Concluí que existe Deus, seja qual for o nome que lhe derem.
Sendo o Universo pulsante de energia, creio ser Deus um núcleo inimaginável de energia concentrada, de onde vai liberando partículas, que são as nossas almas.

Suponho que a nossa missão nesta vida é aperfeiçoar-nos.

Sendo parte de Deus, ele está sempre connosco, não para fazer negócios, eferendas e afins, mas porque somos partículas da sua existência.

Quando partimos, deixamos o casulo onde vivemos e a nossa energia volta a reunir-se com Deus.

Ia a muitas bibliotecas. Um dia trouxe um livro de Albert Einstein chamado: "como eu vejo o mundo"....nele, estavam todas as minhas conclusões recentes... nunca senti tamanho alívio!
Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 02/08/2015
Alterado em 02/08/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr