Textos

 













Os Poemas

Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhoso espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...

***

LES POÈMES

LES POÉMES SONT DES OISEAUX QUE ARRIVENT
ON NE SAIT PAS OÙ ILS SE DÉPOSENT
DAS LE LIVRE QUE TU LIS.
QUAND TU FERMES LE LIVRE ILS S’ENVOLENT
COMME D’UN PIÉGE
ILS N’ONT PAS D’ENDROIT
NI DE PORT
ILS SE NOURRISSENT POR UN INSTANT À CHAQUE PAIRE DE MAINS
ET ILS S’EN VONT
ET ALORS TU REGARDES CE VIDE DE TES MAINS
DANS LE MERVEILLEUX ÉTONNEMENT DE SAVOIR
QUE SA NOURRITOURE ÉSTAIT DÉJÀ DANS TOI...


(versão p/francês Maria Petronilho)

 
Mário Quintana
Enviado por Maria Petronilho em 31/12/2006
Alterado em 24/11/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr