Áudios

Silenciosa alma poeta
Data: 22/03/2007
Créditos:
Poema: Maria Petronilho
Voz: Ferndo Reis Costa
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.




Poeta, que vais na sombra

levando estrelas escondidas

que pouco a pouco revelas

ardem-te como feridas

mas não podes fugir delas!



és da suma dor guarida

olhas em espanto e tristeza

quanta loucura te cerca

ai, vais na margem na vida

porque a vida te atormenta.



olhas as folhas caindo

olhas as flores brotando

e caminhas entre espinhos

com os teus pés doloridos

a tua alma sangrando



e o mundo de ti se aparta

até que a morte desvenda

teu espólio e te oferenda

uma rosa amanhecida

que te desfolha na campa

                onde nem podes cheirá-la!




Enviado por Maria Petronilho em 17/02/2007

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr